Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

suculentavontade

Acesso restrito a maiores de 18 anos, a linguagem utilizada é ofensiva aos mais sensiveis!

suculentavontade

Acesso restrito a maiores de 18 anos, a linguagem utilizada é ofensiva aos mais sensiveis!

sexo na estação...

Assim loucas, recordo uma atracão animalesca que tive com uma mulher mais velha que eu talvez uns 10 anos, ou seja eu devia ter uns 30...conhecemo-nos no comboio pelo menos eu foi a 1º vez que a vi, ela era uma executiva charmosa e bem vestida, com uma racha na saia e um salto alto que tirava qualquer um do serio!!

Com uma troca de olhares sedentos do prazer que ambos queríamos marcamos sair na 1º estação, assim ocorreu, saí e ela segui-me até às escadas que dão acesso ao parque de estacionamento no piso inferior, uma vez que o parque é pouco utilizado (normalmente quem usa as garagens vai pelo elevador) foi ali nas escadas que nos conhecemos, com um beijo quente, com as nossas línguas a servirem de termómetro para o que iria acontecer.

Ela tinha um beijo quente, parecia que já a conhecia à vários anos, pois anos, mas depois de sabermos o nome de cada um, confessei-lhe que o olhar sedutor que ela tinha era explosivo, ao que ela respondeu  estou toda molhada…, o meu mastro ficou possuído, ela colocou a mão sobre as minhas calças e perguntou-me se costumava ficar assim tão inchado quando via uma mulher, eu disse-lhe que não e pedi desculpa, mas ela disse que não tinha nada que pedir desculpa, pois sentia-se bem ao ver-me assim, sem dizer uma palavra, levantou a saía e baixou a parte de cima da anca para deixar-me doido, ficando com a rata a minha mercês, baixei muito rápido as calças, coloquei a cueca para o lado e não resisti em lhe meter o mastro de uma só vez na rata que estava completamente molhada onde no mesmo momento ela dá um gemido inimaginável, enquanto aumentava o ritmo da penetração, ela dizia-me, que lhe desse com força pois já estava a precisar de ser satisfeita, que cona tão molhada que tem dizia-lhe eu, com o ai ai, só me pedia para a foder, come-me, mete-me esse caralho  bem no fundo. ..

Bem eu com a excitação de estar a comer uma mulher mais velha, charmosa e quente não aguentei mais que 10 minutos e vim-me, no momento em que senti o leite a subir tirei o mastro dentro da cona e esporrei-me para as nádegas, mas eram jatos de leite que nunca tinha visto, ela por seu lado ficou chateada porque queria mais, e por isso mandou-me encostar à parece, a boca dela quando começou a deslizar até ao meu pau, aquilo parecia uma maquina trituradora, que broxe, a agonia que sentia, só queria mamar aquelas mamas, sentei-me nas escadas e mandei-a sentar no meu colo, as mamas enlouqueciam a minha língua, os gemidos, a vontade de foder, com a força da natureza a fazer o encaixe perfeito, entre o roçar acontece o engate ocasional, ela no meu colo era infernal, com o meu caralho todo dentro dela, fodia-me com a força das deusas do sexo, o prazer era recíproco, mudamos de posição era a minha preferida por sinal, tinha que lhe comer à canzana, comecei a meter-lhe o meu mastro com alguma prudência, perguntei-lhe onde queria, ao que ela respondeu em todo o lado…mas rápido deu para ver que aquilo era uma maquina de foder bem oleada, rapidamente começou a bombar, não consegui perceber onde tinha mais tesão, se no cu se na cona, ela o que queria era foder, entre gemidos as palavras de ordem eram que tinha que lhe dar tantas fodas como a quantidade de vezes se masturbou sozinha a pensar em mim… tirei-o do cu, deitou-me no chão e se sentou-se no meu vergalho de costas, aquela imagem era fascinante e claro que brindei com mais uma ejaculação, aquela dança de anca que teve a receber o leitinho, era gozo autentico.
Andava  esgotadíssimo, mas ela fazia-me bem, nos meses seguintes sempre que regressamos a casa no mesmo comboio,  o nosso lanche era dar umas fodas, o marido por seu lado andou desconfiado, o que nos deu  ainda mais pica, aquela adrenalina e inquestionável...

1 comentário

Comentar post

Mais sobre mim

Posts mais comentados

Calendário

Setembro 2014

D S T Q Q S S
123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
282930

Arquivo

  1. 2015
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2014
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub